JUSTIFICATIVA

Justificativa
Cearense convertida ao islã há cerca de 10 anos, Karine Garcêz é uma fotógrafa cearense que trata nesse trabalho individual da inocência preservada pelas crianças mesmo diante de uma situação humanitária degradante. As crianças palestinas refugiadas são pequenos adultos, que mantêm toda a delicadeza infantil ao mesmo tempo que já possuem uma consciência política.
Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), há hoje no mundo mais de 50 milhões de refugiados. Pessoas que devido a guerras e perseguições foram obrigadas a deixar suas casas. Cerca de 5 milhões são palestinos vítimas do conflito iniciado em 1948. Aproximadamente um terço desses refugiados palestinos vive hoje em campos para refugiados na Jordânia, no Líbano e em Gaziantep, uma cidade turca situada na fronteira com a Síria. Estima-se que cerca de 80 mil crianças e adolescentes palestinos vindos da Síria estejam refugiados em Gaziantep.

Vítimas da guerra, as crianças têm seus direitos humanos violados com a violência rasgando as páginas da Declaração Universal dos Direitos das Crianças, de 1959, e da Convenção dos Direitos das Crianças, de 1989. A guerra tira delas suas casas, suas comunidades, sua privacidade, sua dignidade, sua inocência e, muitas vezes, suas vidas. As sobreviventes  levam consigo para o futuro as consequências da experiência dessa fase da vida: ansiedade, depressão, agressividade.

Ainda que não sejam respeitadas como crianças, protegidas como crianças, elas são crianças e é assim que devemos olhar para elas. Não voltar no passado e encará-las como pequenos adultos, mas sim defender o direito delas de serem crianças, uma semente que deve ser regada, não uma árvore de quem já queremos frutos e sombra. A idade da criança não é a idade da guerra. É a idade do amor.

A exposição  Infância Refugiada/ Refugge Childhood é uma janela que pretende circular mundo a fora fazendo com o que olhar estrangeiro chegue até a infância palestina, hoje refugiada e ameaçada, na expectativa de que toda a esperança que há no olhar desse pequenos cidadãos de direitos seja alimentada por cidadãos do mundo.

A esperança e olhar dois territórios os quais não devem encontrar barreiras.

Advertisements